FOLHA DO CENTRO - ESTÁ COMPLETANDO 24 ANOS EM AGOSTO Edição N° 274 - Julho de 2019.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO
  Giro pelo Centro  

Centro recebe grafite LGBTQ que foi recusado em outras regiões
O Porto Maravilha recebeu uma pintura de grafite de arte urbana com temática LGBT, da artista Rafa Mon, na Orla Conde, Zona Portuária. Rafa procurou sem sucesso colorir outras paredes pelas ruas da cidade. “Tentei vários lugares disponíveis para grafite, mas ao apresentar a arte com a bandeira LGBT, era recusada”, lamentou a artista. O novo desenho com o tema “Orgulho LGBTQIA+” desperta, segundo ela, ainda mais alegria já que é um autoretrato ao lado do filho Davi, ambos ativistas da causa.
A obra artística teve o apoio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) e da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDS Rio). Para o coordenador especial da Diversidade Sexual da Prefeitura, Nélio Georgini, o Rio é uma cidade de muitas caras e cores. “É um lugar que respira liberdade e diversidade, no sentido amplo da palavra. A obra da Rafa é um presente para os moradores e turistas que visitarem a Zona Portuária”, considera Georgini.

Liga de turismo busca tombamento definitivo da escadaria Selaron
A Liga Independente de Guias de Turismo do Rio de Janeiro (LIGUIA) está concorrendo a um edital para projetos na área de cultura do BNDES. O objetivo do projeto é a criação de uma plataforma virtual de captação de fundos para o tombamento definitivo da Escadaria Selaron, no bairro da Lapa. O projeto é intitulado, “Escadaria Selarón: pedaço(s) do mundo”, e tem como objetivo realizar o inventário de todas as peças e o mapeamento de danos de toda a escadaria.
A escadaria Selaron é a principal obra do ceramista e pintor chileno Jorge Selarón. No ano de 1990, o estrangeiro por conta própria decidiu iniciar o processo de renovação da escadaria que se localizava em frente à sua residência. Selaron passou a vender suas pinturas para financiar a revitalização da escada de 125 metros de comprimento e 250 degraus com mais de 2.000 azulejos coloridos, com homenagens a diversos países do mundo. A escadaria se tornou alvo da ação de vândalos que roubam e revendem azulejos do monumento. A escadaria chegou a ser tombada de forma provisória por meio de um decretado em 2005, pelo então prefeito Cesar Maia.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS