FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 266 - Novembro de 2018.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO

Lei que proíbe uso de canudos plásticos no Rio de janeiro causa controvérsias

Colaborou: Débora Ericka
O Rio de janeiro foi um dos primeiros municípios brasileiros a banir o uso de canudos plásticos. Sancionada em junho deste ano, a lei dispõe sobre a proibição dos canudos em restaurantes, bares, quiosques e hotéis. Vendedores ambulantes também não estão isentos. Os estabelecimentos que ainda não substituíram os canudos plásticos estão oferecendo copos descartáveis para os clientes, o que é considerado um equívoco, pois dessa forma continua-se poluindo e degradando o meio ambiente, uma vez que os copos descartáveis levam cerca de 450 anos para se decompor na natureza, o que gera preocupação.
O recém eleito deputado estadual, Alexandre Freitas (Novo), disse que “uma lei só é razoável quando sua aplicação impacta o menos possível na vida do cidadão, respeita suas liberdades e alcança o fim desejado. Essa lei é estúpida porque não cumpre com nenhum desses requisitos. O problema da poluição de resíduos é resolvido com mais educação, punição contra quem despeja lixo onde não deveria e com usinas de incineração, não com proibição”, disse o parlamentar em suas redes sociais.
Na pizzaria Esquina de Santa, em Santa Teresa, os canudos biodegradáveis têm o uso limitado. “Nós oferecemos o canudo biodegradável só para as crianças e servimos também nas caipirinhas. As pessoas já entendem que está proibido, e geralmente pedem para lavar a latinha e muitas vezes realmente pedem um copo descartável”, relata Isaias Ramos, colaborador na Esquina de Santa. Muitos estabelecimentos oferecem os canudos de papel biodegradável, mas somente para quem consumir as bebidas do local, pois estes possuem um custo mais elevado.
O que muito se observa pelo centro da cidade são vendedores ambulantes que continuam a oferecer os canudos de plástico. Isso ainda ocorre porque a fiscalização sanitária realizou até então apenas uma ação em estabelecimentos buscando promover a conscientização da necessidade de se cumprir essa lei. Os estabelecimentos estão ainda se adaptando à nova ordem, não disponibilizando mais o utensílio. Diante da situação, os adeptos dos canudos estão recorrendo às alternativas mais sustentáveis como os canudos de vidro, metal, bambu ou papel biodegradável.
Essas medidas buscam reduzir o impacto do consumo na natureza. Em 2014 a poluição no estado do Rio chegou a ser maior que em SP, de acordo com a Organização mundial da saúde, (OMS), a poluição ainda faz vítimas matando cerca de sete milhões de pessoas por ano ao redor do mundo, também segundo dados da OMS.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS