FOLHA DO CENTRO - ESTÁ COMPLETANDO 24 ANOS EM AGOSTO Edição N° 265 - Outubro de 2018.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO
  Carta do Leitor  

Lapa das diversidades
Achei muito legal quando eu soube que quatro mulheres transexuais, refugiadas da Venezuela, foram abrigadas na Casa Nem, na Lapa. A situação do país vizinho está caótica com a crise política e econômica que estão passando. As pessoas não têm nem o que comer lá na Venezuela e a população LGBT além de tudo, ainda conviver com o preconceito. A Lapa é um lugar democrático e das diversidades e recebeu com muito carinho as Venezuelanas que vieram para cá. Nossa situação também não está das melhores, mas que bom que podemos acolher e abrigar pessoas com maiores necessidades. Vou torcer para que elas consigam refazer suas vidas por aqui.
*Nota: O jornal Folha do Centro apurou a situação e as venezuelanas passaram um período na Casa Nem e não estão mais lá.
Ângela Prado, 33 anos - Designer de interiores.

Ocupações irregulares
O número de ocupações irregulares no Centro está aumentando cada vez mais. Muitos imóveis estão em péssimo estado de conservação, ameaçando até mesmo desabar em cima das pessoas. O prédio do Automóvel Clube, na Lapa, estava fechado há muitos anos e agora também foi ocupado por moradores de rua. O problema da falta de habitação é que causam essas ocupações, mas isso cria outro problema que é o risco e a falta de estrutura para essas pessoas que estão nesses prédios caindo aos pedaços. A Prefeitura deve fiscalizar essas ocupações e também oferecer trabalho e moradia digna para essas pessoas.
Márcia Alves - via Facebook
Chuva e alagamento
Eu acho um absurdo que o Centro da cidade ainda tenha tantos alagamentos. Qualquer chuva que caia, as ruas enchem tão rápido que pega todo mundo de surpresa e a gente mal consegue andar pelas ruas. Nem mesmo os carros arriscam passar porque enche tanto que os motoristas ficam com medeo, porque a água toma conta das ruas. Mesmo depois que a chuva passa, as ruas continuam cheias e parece que os bueiros não dão conta da quantidade das águas. As eleições estão chegando e eu quero ver se algum candidato eleito irá trazer alguma solução para esses alagamentos, principalmente no Centro e no Catete que são os lugares que eu vejo mais.
Lúcia Silveira, 42 anos – Costureira

Mercado imobiliário
Moro em Santa Teresa e tenho reparado que aumentou muito o número de imóveis para alugar no bairro. É só caminhar na rua que a gente percebe muitas placas de “Aluga-se” nas casas. Não sei se é a crise, mas não só em Santa Teresa e sim em outros lugares eu veja muitos imóveis para vender ou alugar. Eu acho que isso desvaloriza um pouco o bairro porque dá a impressão de que as pessoas estão se mudando dalí. Eu amo Santa Teresa e recomendo que as pessoas venham morar aqui porque é um bairro romântico, calmo e maravilhoso. Venham para Santa Teresa!
Sônia Ribeiro - via Facebook

Ônibus dos horrores!
Moro no Centro da cidade e preciso sempre utilizar a linha de ônibus C-10 que liga o Bairro de Fátima ao Centro comercial. O ônibus demora muito a passar. Geralmente a gente fica de 30 a 40 minutos no ponto esperando. Muitas vezes eu prefiro dividir um taxi com as amigas para poder me deslocar pelo Centro porque a linha de ônibus é muito deficiente. O trajeto da linha é extremamente curto, mas mesmo assim o preço da passagem é o mesmo e o serviço é de péssima qualidade.
Lourdes Carvalho – em visita à sede do Jornal

Página da Saara
Dia das crianças no comércio da Saara tem opções a partir de R$ 1,00
O comércio popular da Saara, no Centro da cidade já está preparado para o dia das crianças. As lojas renovaram seus estoques, diversificaram as opções, e o clima das crianças já toma conta do comércio popular. Os produtos, com preços extremamente atrativos, já estão expostos, principalmente nas lojas especializadas.
Para os comerciantes e trabalhadores da Saara, a data é muito importante e as lojas se preparam com antecedência. “Estamos aguardando com muita ansiedade que aumente o movimento. A loja está super abastecida com diferentes preços, várias opções, muitas bonecas, carrinhos e tudo que tem de melhor em brinquedo para a criançada”, revela Cláudia Diniz, gerente da Loja Simões, uma das mais procuradas, assim como a loja Brinkmania, Aidan e Brinkfesta.
As lojas estarão abertas normalmente, inclusive para quem deixar para comprar o presente na última hora. O comércio oferece brinquedos a partir de R$ 1, com opções para todos os bolsos.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS
 
 
..