FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 263 - Agosto de 2018.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO

Teleférico da Providência sem previsão de retorno

Colaborou: Kaic França
Construído para atender, de forma gratuita, aos quase cinco mil moradores da comunidade mais antiga do Rio de Janeiro, o Teleférico da Providência que deveria ser um grande auxilio na mobilidade se tornou um imenso “elefante branco”.
Na época em que foi edificado, a montagem das torres, a construção de estações adaptadas para pessoas com deficiência, entradas de serviço e transferência dos cabos de energia elétrica, custaram R$75 milhões aos cofres públicos até sua inauguração em julho de 2014. A estrutura conta com 16 gôndolas com capacidade para 10 pessoas cada uma, percorria 721 metros entre a Praça Américo Brum, localizada no alto do morro, à Central do Brasil e Gamboa em apenas 8 minutos.
A operação do Teleférico foi interrompida em dezembro de 2016, afetando quem já estava habituado a utilizar o serviço. É o caso do Auxiliar administrativo, Gabriel Macedo, de 33 anos, que contou à Folha do Centro como está sendo difícil mudar a rotina. “Eu usava o teleférico umas quatro vezes todos os dias, pois trabalho perto da cidade do samba e sempre atravessava com o teleférico, para não ter que passar pelo túnel. Para mim faz muita falta, mas acredito que para os moradores do morro da Providência faz mais falta ainda pois a maioria das pessoas que utilizavam o teleférico eram da comunidade. É uma perda muito grande para todos nós pois dificultou muito. O pior é que o teleférico está abandonado e isso é dinheiro público que foi gasto e agora está desperdiçado”, considera.
Em nota, a Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio (CDURP), órgão que administra o Teleférico, disse que o contrato firmado pela gestão anterior, com durabilidade de um ano e meio, terminou no dia 31 de dezembro de 2016, mesmo dia de saída do então prefeito Eduardo Paes. Segundo nota da Cdurp, a operação na época custava aos cofres municipais R$1.083.829,45 por mês. Segue dizendo que o termo de referência para novo contrato está pronto e aguarda orçamento para publicar o edital de licitação. Procurada, a Assessoria do ex-prefeito não quis comentar.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS