FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 261 - Junho de 2018.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO

Contêineres de lixo em estado precário são abandonados no Centro

Procurada pela Folha do Centro, a Comlurb informou que irá providenciar as substituições
Desde 2015 que algumas ruas do Centro da Cidade passaram a conviver com um novo modelo de depósito para o lixo doméstico. As caixas coletoras, que comportam até 700 quilos de lixo, foram implantadas com o intuito de garantir uma maior produtividade no recolhimento. O novo protótipo exige um menor número de funcionários para a coleta, além de acomodar maior quantidade de resíduos. Porém, a visível falta de manutenção, o mau cheiro que exalam e o abandono fizeram das lixeiras alvo de reclamações dos moradores do bairro.
O Presidente da Associação de Moradores da Cruz Vermelha, Carlos Augusto da Cidade, recebeu inúmeros comentários e manifestações de apoio, ao levantar a questão em suas redes sociais. “Essas lixeiras são de muita importância, pois elas resolveram boa parte dos problemas que tínhamos com o lixo espalhado nas ruas daqui do Centro, mas elas precisam de manutenção. Não se pode simplesmente deixar a caçamba na rua sem nenhuma limpeza periódica e sem conservação. Em algumas delas tem até chorume escorrendo pela calçada”, denuncia Carlos Augusto.
A presença das lixeiras passou a atrair moradores de rua que entram com facilidade nos contêineres para recolher o lixo. Relatos de moradores do Centro dão conta de que as lixeiras são usadas até mesmo como banheiro pela população de rua. A assessora comercial Maria Isabel Vasconcelos comentou sobre uma das lixeiras instaladas na Rua do Senado. “Eu ainda prefiro esse trambolho porque tivemos uma experiência a menos de duas semanas na Rua do Senado. Foram retiradas as caçambas de lixo e, se com elas é o caos, imagina sem elas. Foi um horror, e tivemos que encher a paciência da Comlurb para recolocar a caçamba de volta”, conta Maria Isabel.
Os contêineres são de responsabilidade de uma empresa contratada pela Comlurb, que se responsabiliza pela implantação e consequentemente a manutenção das lixeiras. O Jornal Folha do Centro entrou em contato com a Comlurb para saber sobre a situação dessas caçambas de lixo no Centro. A companhia de limpeza urbana disse que irá entrar em contato com a empresa responsável para que providencie a manutenção e/ou substituição dos equipamentos que estão deteriorados. “Infelizmente essas caixas são danificadas por catadores e população de rua, que retiram as tampas para terem acesso a caixa e fazer catação no lixo”, declarou a Comlurb, destacando ainda os prejuízos causados pela ação de pichadores.
A discussão sobre as lixeiras abandonadas no Centro ganhou também as redes sociais, e levantou a questão da falta de investimento e de infraestrutura no bairro. Usuários das redes questionaram o fato de o Centro da cidade ter sofrido o maior reajuste do IPTU, e ainda não foi observado nenhum tipo de investimento por parte das autoridades, no bem-estar da população que reside no bairro. “Gosto muito do Centro da Cidade, pena que está largado. O Centro é uma Área Nobre da cidade e merece ser tratada com tal”, dizia uma das postagens no Facebook.
A Comlurb hoje é a maior organização de limpeza pública da América Latina. Seu principal objetivo é a limpeza urbana no município do Rio de Janeiro, tendo como principais atribuições os serviços de coleta domiciliar, limpeza dos logradouros públicos, das areias das praias, de parques públicos, do mobiliário urbano, dos túneis, viadutos, e, em especial, a limpeza e higienização de hospitais municipais. A empresa responsável pelos contêineres no Centro é diretamente subordinada à Comlurb e terá obrigação contratual de atender às solicitações de manutenção e substituição.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS