FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 257 - Fevereiro de 2018.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO

João Roberto Kelly: O eterno rei das marchinhas

Quando chega a época do carnaval é impossível não se lembrar das marchinhas que durante muito tempo embalou a folia nos bailes de salão e no carnaval de rua do Rio de Janeiro e do Brasil. Entre os anos 20 e os anos 60, as marchinhas eram o gênero musical que dominavam as manifestações carnavalescas, antes dos atuais sambas de enredo e dos outros gêneros que foram surgindo.
Nascido no Bairro da Gamboa, no Centro, João Roberto Kelly é um dos maiores nomes nacionais do gênero. Marchinhas inesquecíveis que mesmo o tempo não apaga da memória do carnaval brasileiro. “As marchinhas sempre vão ter espaço no carnaval. Até hoje elas dominam os salões. Elas são sátiras que retratam o cotidiano de forma alegre e brincalhona”, disse João Roberto Kelly à Folha do Centro. Atualmente, a marchinha “Alô alô, Gilmar”, viralizou nas redes sociais, em referência ao Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. A inspiração para a composição, vem dos últimos habeas corpus concedidos pelo ministro, como por exemplo do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, do ex-ministro dos Transportes Antonio Carlos Rodrigues, e o empresário Jacob Barata Filho, o ‘rei do ônibus’. A letra da marchinha diz: Alô, Gilmar; Alô, alô Gilmar, / eu tô em cana, / vem me soltar”.
Aos 79 anos, João Roberto Kelly é o autor de clássicas marchinhas, como “ Cabeleira do Zezé’’, “Maria Sapatão” e “Mulata Bossa Nova”. Suas criações são cantadas há quase meio século e fez com que ele se tornasse o maior compositor de marchinhas carnavalescas de todos os tempos.
Em 2015, João Roberto lançou o livro “Cabeleira do Zezé”, que faz uma compilação dos quase 50 anos de carreira do artista. Entre pitadas de humor e curiosidades, o livro vem recheado de fotos dos bons e eternos tempos de carioquices do criativo compositor. Em 2010, foi lançado o curta-metragem “No balanço do Kelly”, dirigido e roteirizado por André Weller.
Aos 11 anos, João Roberto começou a tocar piano de ouvido, aprendendo com a mãe e a avó, ambas pianistas. Depois estudou com professora particular e começou a compor.
Iniciou carreira em 1957, fazendo a partitura da revista Sputnik. Estreou na televisão em 1963, fazendo a abertura musical dos programas da TV Excelsior, onde mais tarde, convidado por Carlos Manga e Chico Anísio, passou a musicar os quadros dos seus shows humorísticos. João Roberto Kelly é um dos ícones do carnaval brasileiro e será eternamente citado como o rei das marchinhas e um dos mais ilustres artistas nascidos no Centro da Cidade.
Contato para show: (21) 98481-0933

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS