FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 254 - Novembro de 2017.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO
  Carta do Leitor  

VLT
Trabalho no Centro da Cidade e uso o VLT duas vezes por semana para ir ao curso de Francês, na Av. Presidente Antônio Carlos, na hora do almoço. Queria registrar aqui que eu acho o VLT um dos mais eficientes meios de transporte público da cidade, pois ele aumenta muita a mobilidade, é um transporte bom, rápido e muito charmoso. Quando o dia está muito calor ou chovendo também ajuda muito a se deslocar pelo Centro. O VLT facilita muito no dia-a-dia aqui no Centro.
Paula Calainho, 32 anos – Arquiteta e Urbanista
Dançarte
Achei bem legal quando li a matéria da Folha do Centro, em que alunas do Dançarte vão ser bailarinas profissionais. A minha filha Sâmia Ferrari é aluna do Dançarte já há dois anos, e desde que entrou no Projeto ela ficou mais dinâmica, mais esperta e a atenção dela aumentou. Ela começou a fazer as aulas e a desenvolver um talento para o teatro que foi despertado por conta do Dançarte. A professora dela, Giselle, é uma ótima professora, que incentiva bastante. Eu e minha esposa estamos muito satisfeitos e orgulhosos com o desenvolvimento da nossa filha. Ela adora todas as aulas. Só tenho mesmo a elogiar e a agradecer ao Dançart
André Ferrari, 41 anos – Maitre
Fim do ano chegando
Sou peruana e trabalho como encarregada em uma loja aqui no Centro do Rio. O fim do ano está chegando, e eu espero que as pessoas possam fazer bastante compra, e que consigam dar bastantes presentes para toda a família e para os amigos. Estou bem otimista e espero que todos nós tenhamos uma boa venda e que o comércio volte a crescer apesar da crise que vários setores enfrentam. Desejo que o fim de 2017 venha com muitas coisas boas e muitas alegrias para todos nós, com todas as lojas cheias e com a economia se recuperando.
Minerva Pancolo, 31 anos – Encarregada de loja
Fim dos ensaios técnicos no Sambódromo
O Cancelamento dos ensaios técnicos é um retrocesso. Definitivamente não me parece uma decisão acertada. A questão principal é que as Escolas de Samba não vão poder se preparar corretamente para o desfile e o povo vai ficar ainda mais distante da grande festa, uma vez que os ingressos são caríssimos e muitos não podem pagar. Para os passistas, o ensaio além de ser um momento crucial na preparação para o desfile, inclusive para treinar o recuo da bateria, sem falar que no desfile oficial os passistas passam irreconhecíveis e nos ensaios técnicos conseguimos identificar melhor as características de cada ala e de cada dançarino.
Gabriel Castro – Diretor dos Passistas do Império Serrano e Império da Tijuca.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS