FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 253 - Outubro de 2017.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO

Rainha de bateria da Vizinha Faladeira brilha no exterior

Já é fato que o carnaval carioca se espalhou pelos quatro cantos do planeta. Uma das responsáveis em semear a cultura do samba pelo mundo é a rainha de bateria da Escola de Samba Vizinha Faladeira, Veronice de Abreu. A escola do Santo Cristo foi buscar no exterior, a gaúcha que vive há dez anos na Suíça e comanda por lá a companhia de dança brasileira “Miss Samba Show”, além de ser diretora artística e fundadora do Centro Cultural Brasileiro de Genebra.
Recentemente Veronice esteve na Bélgica produzindo um desfile de carnaval com cerca de 60 artistas brasileiros, que desfilaram pelas ruas da cidade de Stavelot, a 150 Km de Bruxelas. Na ocasião, vários países foram convidados para o evento que comemora o aniversário da Confraria Carnavalesca “Les Blanc-Mossis”. O evento foi um sucesso de público, e rendeu a Veronice convites para promover outros eventos pelo país. Na Suiça, Veronice ainda se apresentou para mais de 40 mil pessoas no conhecido espetáculo “Energy Air”, no estádio “Stade de Suisse” e dançou com o cantor Ayo Hope, bastante famoso naquele país.
Em conversa com a Folha do Centro, Veronice revela como faz para conciliar suas atividades no Exterior com o Reinado na Vizinha Faladeira. “Todo meu elenco na Suíça é treinado e formado por mim mesma. Eles já estão acostumados a se apresentarem nos shows sem a minha presença quando estou no Brasil. Assim posso me dedicar ao máximo a minha escola sem prejudicar meu trabalho”, esclarece.
Nascida em Porto Alegre, Veronice é formada em Turismo e comércio exterior, fala três idiomas, e no Brasil é Rainha do Carnaval de Porto Alegre, musa de várias Escolas do Rio e de São Paulo e foi durante três anos rainha da ‘Alegria da Zona Sul’. “O posto de Rainha de Bateria representa uma grande responsabilidade. A rainha deve ser bem próxima da comunidade, ter uma ótima relação com os ritmistas e diálogo com os diretores, pois só assim se executa um bom trabalho”, considera Veronice, inteirando que beleza, carisma e samba no pé também são fundamentais. “Rainha que não samba não é rainha. O povo quer ver samba, no melhor estilo ‘mulata tufão nos quadris’. Rainha que não samba tem que desfilar como composição de carro alegórico”, brinca Veronice. A beldade já foi apresentada e muito bem recebida pela comunidade do Santo Cristo, e será coroada no dia 16 de dezembro na quadra da ‘Vizinha’.
No carnaval 2018, a Vizinha Faladeira traz o enredo: “O Marquês numa viagem pioneira, vê nascer um rei na Vizinha Faladeira!... Paulo Barros, o DNA do carnaval”, uma homenagem ao badalado carnavalesco Paulo Barros, que começou carreira na agremiação.

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS