FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 253 - Outubro de 2017.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO
  Saúde e Bem Estar  
Como se sentir seguro em qualquer lugar?

Ana Carla Vicencio
Recentemente, escutei um comentário em uma rádio: “não há um lugar no Rio de Janeiro onde alguém se sinta seguro”.
Fiquei pensando nos 26 anos em que morei nessa cidade e nas experiências que tive em relação à minha segurança pessoal.
Embora a cidade enfrente o que chamam de “a pior crise de segurança pública em mais de uma década”, a experiência que vou relatar, pode ser entendida desde um ponto de vista atemporal, porque está fundamentada na aplicação de leis espirituais apresentadas na Bíblia.
Na adolescência, comecei a ler diariamente a Lição Bíblica Semanal da Ciência Cristã e o faço até hoje. Essa leitura me dá ideias que mantém meu pensamento calmo e seguro.
Na época em que morava no Rio, meu pai me deixava há alguns quarteirões da faculdade onde eu estudava e uma vizinha ia também de carona conosco. Certa vez, durante o trajeto de aproximadamente 1 hora, nossa vizinha demonstrou sua preocupação sobre a segurança na cidade e descreveu vários fatos alarmantes. Procurei manter meu pensamento centrado nos fatos espirituais que eu conhecia. O Salmo 91 apresenta Deus como onipotente, como refúgio e proteção contra o mal, e indica a presença de anjos, que entendo como pensamentos divinos, em todos os nossos caminhos. Foi assim que procurei pensar enquanto ela relatava os fatos.
Depois de ter saído do carro, a caminho da faculdade, um grupo de rapazes veio em minha direção e intuitivamente percebi que eles planejavam pegar meus objetos pessoais. O mesmo pensamento que eu vinha mantendo pelo caminho me encorajou a seguir adiante e a vê-los capazes de sentir o amor de Deus por eles e por mim. Senti que Deus estava conduzindo a todos e não tive medo.
O maior deles ficou parado na minha frente com expressão de mau, mas o amor espiritual que eu sentia naquele momento, fez-me perceber que a sua expressão facial era somente como uma máscara, não sua verdadeira expressão como filho de Deus.
Enquanto isso, os outros tentavam tocar na minha bolsa, mas não conseguiram pegar nada. Eu estava rodeada, mas sentia-me protegida, como se estivesse em uma redoma. Uma jovem que estava passando, puxou-me pela mão e eles se dispersaram sem fazer nenhum mal. Aquele rapaz com expressão de mau continuou nos seguindo, mas um servidor do Corpo de Bombeiros que encontramos mais adiante o afastou, e assim seguimos seguras até a faculdade.
Alguém poderia dizer que eu tive sorte ou que eles eram inexperientes, mas eu pude constatar que o fator determinante foi meu modo de pensar. Eu também poderia ter reagido com raiva ou com medo e entregue tudo para sair da situação, mas a confiança na segurança que Deus nos proporciona onde quer que estejamos, garantiu-me um resultado que evitou o mal para todos.
Nossa sociedade tem muitos problemas a serem tratados, mas podemos viver sem o sentimento de vítima das circunstâncias, quando temos o desejo de aprender mais sobre nossa relação com Deus e praticá-la.
Ana Carla Vicencio é Comitê de Publicação da Ciência Cristã e escreve sobre a relação entre o bem-estar, a saúde e a espiritualidade. Contato: brasil@compub.org

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS