FOLHA DO CENTRO - 23 ANOS DE EXISTÊNCIA Edição N° 251 - Agosto de 2017.
COLUNAS
NOTICIAS
FOTOS
SERVIÇOS
PREVISÃO DO TEMPO
  Saúde e Bem Estar  
As 13 razões: apoio espiritual para a saúde mental dos adolescentes

Por: Ingrid Peschke
A nova série de televisão produzida pela Netflix, intitulada 13 Reasons Why [As 13 razões], levou profissionais da área educacional e de saúde a advertir firmemente os pais e as escolas. Essa série, baseada no livro de ficção que possui o mesmo título, tem estado em voga na mídia social desde que foi originalmente lançada, no final de março. Ela faz uma crônica da vida da aluna Hannah Baker no ensino médio e das treze razões que ela sente que a levaram a cometer suicídio.
A atenção que a mídia atraiu desde o início e as advertências dos profissionais da área educacional levaram a Netflix a publicar suas próprias orientações relacionadas à forma gráfica como os assuntos delicados são apresentados na série. Muitos se preocupam em que adolescentes vulneráveis assistam ao programa sem contar com a ajuda de um responsável para digerir os assuntos complexos, que, de acordo com os críticos, incluem a apresentação do suicídio como praticamente inevitável, até mesmo de maneira romantizada.
Como mãe de adolescentes, tenho pensado muito em como proporcionar um ambiente propício para conversarmos sobre o que os preocupa na vida. Nossas conversas tendem a estar direcionadas para o amor a Deus e a sabedoria da Bíblia, pois são um alicerce para a educação espiritual e a formação do caráter.
Como Cientista Cristã, aprendi a cultivar o hábito de recorrer à oração em busca de orientação para apoiar a saúde mental de meus filhos e para ensiná-los a ter controle sobre os pensamentos que eles decidem aceitar e seguir em suas ações. Quando a pressão surge em sua vida, eles aprenderam que, independentemente do que estão enfrentando, eles são sempre amados e que existe sempre uma solução. No espírito destas palavras do salmista: “Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações” (Salmos 46:1). E destas: “[O Senhor] disse: ‘Com amor eterno eu te amei. Continuo a te amar com uma benignidade que nunca falha’ ” (Jeremias 31:3).
Cada um de nós pode apoiar a inocência e a saúde mental dos jovens presentes em nossa vida, ao nos empenharmos em ver sua verdadeira identidade, à semelhança de Deus, e também ajudando-os a ressaltar o bem em seus companheiros. Eles se sentirão apoiados, quando forem orientados a pensar e agir com respeito, honestidade, pureza, desprendimento, discernimento. Isso inclui a maneira como falam a respeito de si mesmos e de seus colegas e de como apresentam a si mesmos e os colegas na mídia social.
Umas das lições que tirei de minha prática espiritual e que passei para meus filhos consiste em ajudá-los a proteger seu estado mental contra influências mentais perigosas ou sombrias. Conversamos sobre a importância de confiar no poder do bem e de reconhecer que impulsos nocivos não se originam neles, porque esses impulsos não provêm de seu Criador, Deus, que é a fonte de todo o bem. O próprio fundamento do Cristianismo está alicerçado nos princípios que Jesus comprovou em sua vida, ao nos mostrar como o amor vence o ódio e a luz tem de eliminar a escuridão.
Eu me esforço para apoiar mentalmente os jovens, para que eles se sintam seguros e confiantes com relação à sua vida e saibam que não estão sozinhos ponderando sobre essas questões. Existem muito mais do que treze razões pelas quais vale a pena viver.
Ingrid Peschke é profissional de Ciência Cristã e escreve sobre espiritualidade e saúde como Comitê de Publicação da Ciência Cristã em Massachusetts, EUA. Contato: Brasil@compub.org
Artigo publicado originalmente em Huffington Post, @HuffPost

 

 
CAPA
EDIÇÕES ANTERIORES
www.jornalfolhadocentro.com.br
Admin
© 2007- FOLHA DO CENTRO - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por DMS